Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Road to the Oscars 2014

por Paula Antunes, em 16.01.14

And so it begins...

 



Directing

Alfonso Cuarón, “Gravity”

Steve McQueen, “12 Years A Slave”

Alexander Payne, “Nebraska”

David O. Russell, “American Hustle”

Martin Scorsese, “The Wolf of Wall Street”

 

Actor

Christian Bale, “American Hustle”

Bruce Dern, “Nebraska”

Leonardo DiCaprio, “The Wolf of Wall Street”

Chiwetel Ejiofor, “12 Years a Slave”

Matthew McConaughey, “Dallas Buyers Club”

 

Actress

Cate Blanchett, “Blue Jasmine”

Sandra Bullock, “Gravity”

Judi Dench, “Philomena”

Amy Adams, “American Hustle”

Meryl Streep, “August: Osage County”

 

Best picture

“Captain Phillips”

“Gravity”

“12 Years a Slave”

“Philomena”

“American Hustle”

“Her”

“Nebraska”

“The Wolf of Wall Street”

“Dallas Buyers Club”

 

Supporting actor

Barkhad Abdi, “Captain Phillips”

Bradley Cooper, “American Hustle”

Michael Fassbender, “12 Years a Slave”

Jared Leto, “Dallas Buyers Club”

Jonah Hill, “Wolf of Wall Street”

 

Supporting actress

Sally Hawkins, “Blue Jasmine”

Jennifer Lawrence, “American Hustle”

Lupita Nyong’o, “12 Years a Slave”

Julia Roberts, “August: Osage County:

June Squibb, “Nebraska”

 

Animated feature film

“The Croods”

“Despicable Me 2”

“Frozen”

“Ernest & Celestine”

“The Wind Rises”

 

Cinematography

“The Grandmaster”

“Gravity”

“Inside Llewyn Davis”

“Nebraska”

“Prisoners”

 

Costume design

“American Hustle”

“The Grandmaster”

“The Great Gatsby”

“The Invisible Woman”

“12 Years a Slave”

 

Makeup and hairstyling

“Dallas Buyers Club”

“Jackass Presents: Bad Grandpa”

“The Lone Ranger”

 

Documentary short subject

“CaveDigger”

“Facing Fear”

“Karma Has No Walls”

“The Lady in Number 6: Music Saved My Life”

“Prison Terminal: The Last Days of Private Jack Hill”

 

Documentary feature

“The Act of Killing”

“Cutie and the Boxer”

“Dirty Wars”

“The Square”

“20 Feet From Stardom”

 

Foreign language film

“The Great Beauty”

“The Hunt”

“The Broken Circle Breakdown”

“The Missing Picture”

“Omar”

 

Music, original score

John Williams, “The Book Thief”

Steven Price, “Gravity”

William Butler and Owen Pallett, “Her”

Alexandre Desplat, “Philomena”

Thomas Newman, “Saving Mr. Banks”

 

Music, original song

“Alone Yet Not Alone” from “Alone Yet Not Alone”

“Happy” from “Despicable Me 2”

“Let it Go” from “Frozen”

“The Moon Song” from “Her”

“Ordinary Love” from “Mandela: Long Walk to Freedom”

 

Production design

“American Hustle”

“Gravity”

“The Great Gatsby”

“Her”

“12 Years a Slave”

 

Short film, animated

“Feral”

“Get a Horse!”

“Mr. Hublot”

“Possessions”

“Room on the Broom”

 

Short film, live action

“Aquel No Era Yo (That Wasn’t Me)”

“Avant Que De Tout Perdre (Just Before Losing Everything)”

“Helium”

“Pitaako Mun Kaikki Hoitaa? (Do I Have to Take Care of Everything?)”

“The Voorman Problem”

 

Film Editing

“American Hustle”

“Captain Phillips”

“Dallas Buyers Club”

“Gravity”

“12 Years a Slave”

 

Sound editing

“All Is Lost”

“Captain Phillips”

“Gravity”

“The Hobbit: The Desolation of Smaug”

“Lone Survivor”

 

Sound mixing

“Captain Phillips”

“Gravity”

“The Hobbit: The Desolation of Smaug”

“Inside Llewyn Davis”

“Lone Survivor”

 

Visual effects

“Gravity”

“The Hobbit: The Desolation of Smaug”

“The Lone Ranger”

“Iron Man 3”

“Star Trek Into Darkness”

 

Writing, adapted screenplay

“Before Midnight”

“Captain Phillips”

“Philomena”

“12 Years a Slave”

“The Wolf of Wall Street”

 

Writing, original screenplay

“American Hustle”

“Blue Jasmine”

“Dallas Buyers Club”

“Her”

“Nebraska”

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 18:09

Road to the Oscars: Paperman

por Paula Antunes, em 31.01.13

Introducing a groundbreaking technique that seamlessly merges computer-generated and hand-drawn animation techniques, first-time director John Kahrs takes the art of animation in a bold new direction with the Oscar®-nominated short, "Paperman." 

Using a minimalist black-and-white style, the short follows the story of a lonely young man in mid-century New York City, whose destiny takes an unexpected turn after a chance meeting with a beautiful woman on his morning commute. Convinced the girl of his dreams is gone forever, he gets a second chance when he spots her in a skyscraper window across the avenue from his office. With only his heart, imagination and a stack of papers to get her attention, his efforts are no match for what the fates have in store for him.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 13:58

Road to the Oscars: Life of Pi

por Paula Antunes, em 21.01.13



Tendo visto metade dos filmes nomeados para melhor filme do ano, há um padrão que sinto a formar-se e que é vagamente desagradável: quase todos eles ficaram aquém do que podiam ser. Eu sei, isto acontece muitas vezes, mas não é tão frequente acontecer quase sistematicamente na dezena de eleitos do ano e ainda para mais de forma tão claramente óbvia. 

 

Ora bem, digo isto porque 'Life of Pi' é um exemplo máximo da descrição feita acima. Os efeitos tanto nos deslumbram, como nos deixam com cara de: 'caramba, aquilo foi mesmo mal feito'. A montagem podia ser muito melhor e não ajuda à fluidez da história (a adaptação do argumento também não é brilhante). A realização tem pontos altos, momentos belos, grandiosamente dignos de Ang Lee, mas lá está, são momentos, não é um todo, e, pior que tudo, vêm à custa de um detrimento do aprofundar das relações e da parte humana. O filme que 'Life of Pi' poderia ser morre sobretudo aí.

 

Há sempre a sensação de faltar algo: no argumento, na realização, na montagem, nos efeitos, no desenvolvimento das personagens... e é essa sensação de amargo na boca que torna um filme tão prometedor em algo dificil de digerir, um bocado como um frango bem temperado mas meio cru.
Ainda assim, 7 em 10.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 17:05

Road to the Oscars: Argo

por Paula Antunes, em 20.01.13



Antes de mais deixem-me afirmar o seguinte: Argo é um bom filme. Ponto.

Mas Argo é sobretudo um filme de hollywood. Uma realização competente que não falha o alvo mas que nunca se revela verdadeiramente genial, boas interpretações, um argumento pensado para a academia, com equilíbrio entre a parte histórica (não necessariamente imparcial e correcta, mas os americanos quase nunca o são) e a parte de acção, um 'herói' real que nunca assume verdadeiramente esse papel e a sobriedade até no suspense.

É bom, mas não magnifico. O desenvolvimento da história é óbvio, o mesmo suspense que é sóbrio acaba forçado, o fim é previsível (mesmo para quem não conhece os factos). É, como já disse, um filme de Hollywood para consumo hollywoodesco.

Provavelmente esta é uma critica com que nem tod@s concordarão, especialmente depois de atribuídos os Globos de Ouro, mas Argo não é o meu filme do ano. Nem sequer está no Top 3. Vale um 8 pelo esforço e por aquele inicio que acaba por se revelar a melhor parte de todo o filme. Mas dia 24 não é este o nome que quero ouvir para o prémio principal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 17:08

Road to the Oscars: Django Unchained

por Paula Antunes, em 18.01.13

 

Apesar de ainda não ter visto metade dos filmes que quero ver até aos óscares, posso dizer já duas coisas: 

1º - Django Unchained é um grande, grande filme. Um Tarantino vintage, em que cada momento é um hino ao que Quentin melhor sabe fazer, quer em argumento, quer em realização. Juntem a isso interpretações irrepreensíveis, sobretudo de Jamie Foxx e Christoph Waltz e obtêm o ponto 2.

2º - Tarantino vai mais uma vez ser roubado nos óscares. Sim, eu sei, 'contem-me algo novo', mas não deixa de ser irritante tanta vénia a Lincoln por oposição. A academia não gosta de ver cérebros a explodir... é isso, não é? 

Um 9 em 10 e definitivamente um filme a não perder.
Estreia em Portugal, a 24 de Janeiro.


Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 19:52


My Way: "Two roads diverged in a wood, and I, I took the one less traveled by. And that has made all the difference"

Paula Antunes


Paula Antunes

"Não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros"

Zapatero


Caleidoscópio LGBT


Pesquisar

Pesquisar no Blog