Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Livre escolha? A sério?

por Paula Antunes, em 19.09.05
Ando há uma semana para por este post aqui... olhem, mais vale tarde que nunca:


Quer suicidar-se? Espere dois anos...

"LEMOS as letras pequeninas dos contratos de seguro de vida, obrigatórios para quem faz um crédito a habitação. Ficámos a saber que, na generalidade dos bancos, está absolutamente proibido de se suicidar nos primeiros dois anos a seguir à assinatura do contrato. Se o fizer, obriga o/a beneficiário/a a pagar até ao fim as prestações do empréstimo para a compra de casa. A partir do terceiro ano já pode matar-se, porque o seguro assume o risco.

Mas há mais cláusulas curiosas de excepção. O Montepio excluiu da cobertura a morte na sequência de uma hérnia ou durante a caça de animais ferozes (cautelas por causa de Sócrates?). E o Barclays não paga se você for condenado à morte, ou for desta para melhor na sequência de um duelo."

Fonte: Expresso 10/09/1005

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 17:44


3 comentários

De Mallika a 23.09.2005 às 19:08

Pois, ora bolas, não é justo! Uma pessoa já nem pode escolher uma morte tão digna como essa "Tangas".
- Eu estou contigo!

De Tangas a 23.09.2005 às 18:57

ora bolinhas! e eu que tinha combinado com uma leoazinha de nariz empinado ser comida até à morte... logo agora? tinha mesmo de ser?

De whitesatin a 20.09.2005 às 11:58

Então, mas isto agora é assim? Nem na nossa própria vida mandamos?
Quer dizer, primeiro enterram-nos a pasta até ao pescoço, mas depois não nos deixam suicidar quando nos apercebemos da grandessíssima asneira que cometemos. Não. Obrigam-nos a ter que esperar os 2 anos que é a margem mínima de lucro.
É pá, tenho que me lembrar que não posso fazer Safaris... :P
Ao Barclays dá-se um desconto porque não é Português. E lá na Inglaterra é que ainda têem a mania dos duelos e essas coisas do outro século. Cambada de atrasaditos, é o que é.
LOLOLOLOL
Só me dá é para rir!!

Comentar post



My Way: "Two roads diverged in a wood, and I, I took the one less traveled by. And that has made all the difference"

Paula Antunes


Paula Antunes

"Não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros"

Zapatero


Caleidoscópio LGBT


Pesquisar

Pesquisar no Blog