Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



1ª Marcha do Orgulho - Porto 2006

por Paula Antunes, em 20.06.06


Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 20:49

Razão de Viver

por Paula Antunes, em 18.06.06
"Matt’s gift was people. He loved being with people, helping people, and making others feel good. The hope of a better world, free of harassment and discrimination because a person was different, kept him motivated.

All his life, he felt the stabs of discrimination. Because of that, he was sensitive to other people’s feelings. He was naive to the extent that, regardless of the wrongs people did to him, he still had faith that they would change and become “nice”.

Matt trusted people, perhaps too much. Violence was not a part of his life until his senior year in high school. He would walk into a fight and try to break it up. He was the perfect negotiator. He could get two people talking to each other again as no one else could.
"


Palavras de um amigo dedicadas a Matthew Shepard, torturado e assassinado aos 21 anos por ser homossexual.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 05:25

A Fenix - minha Vida

por Paula Antunes, em 07.06.06
“Muitas vezes costumamos perguntar: como é que isso aconteceu conosco? De repente, me vi cercado de gente que estava disposta a refletir sobre o significado da vida. Que poderia eu dizer para estas pessoas?

Penso que as pessoas me olhavam como se eu tivesse uma resposta para tudo. Mas tudo que decidi fazer foi falar um pouco de mim...

Dizer que minha fé é capaz de me manter vivo e entusiasmado por seguir adiante, apesar dos momentos de pessimismo. Expliquei então o meu lema: se eu der um passo errado e for arrastado para o fundo, isso jamais será feito de maneira discreta. Todos me verão gritando, chutando, agitando bandeiras, de modo que possa servir de alerta para os que virão.

Por causa deste lema, sei que dificilmente levarei outros comigo em meus erros, e portanto consigo dominar meu medo e me arrisco a dirigir meu barco para águas desconhecidas.

Nós temos a tendência de procurar o cativeiro porque costumamos ver a liberdade como algo que não tem fronteiras nem responsabilidades.

E por causa disso, terminamos também tentando escravizar tudo aquilo que amamos – como se o egoísmo fosse a única forma de manter o nosso mundo equilibrado. O amor não limita; amplia nossos horizontes, podemos ver claramente o que está fora, e podemos ver mais claramente ainda os lugares escuros de nosso coração.

Eu posso me lembrar ainda de quando me perguntou, através de uma das pessoas presentes, o que devia fazer agora.

Então respondi: Continue procurando. E quando encontrar, mesmo assim, continue procurando, com entusiasmo e curiosidade. Apesar dos erros que eventualmente serão cometidos, o amor é mais forte, permite que o pássaro voe em liberdade, e cada passo não será apenas um movimento adiante, mas conterá em si todo um novo caminho.”



Fonte: Burkhard Ellegast</align>

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 02:35


My Way: "Two roads diverged in a wood, and I, I took the one less traveled by. And that has made all the difference"

Paula Antunes


Paula Antunes

"Não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros"

Zapatero


Caleidoscópio LGBT


Pesquisar

Pesquisar no Blog