Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



I'll always vomit in such movies

por Paula Antunes, em 27.07.11

 

 

Cá por casa andamos a aproveitar as férias para dar uma de cinéfilas. A Isabel quer ver alguns dos melhores filmes já feitos, e eu admito que não me importo nada de partilhar os meus conhecimentos nesta área.

 

Mas... nem sempre as coisas correm pelo melhor. Estava eu nas minhas pesquisas a tentar encontrar algum filme interessante que ainda não tivesse visto, quando o meu olhar encontra esta pérola: I'll Always Know What You Did Last Summer . Admito que fiquei um bocado estupefacta. Afinal filmes de terror/suspense são a minha cereja em cima do bolo e eu nunca tinha ouvido falar deste. "Como raios...?" pensei eu, ainda desconhecedora do facto do filme ter saído directamente para vídeo.

 

Tinha visto os 2 primeiros e gostado. Não que fossem geniais, mas valiam as pipocas que os acompanharam. É claro que a presença da Jennifer Love Hewitt pode ter tido alguma coisa a ver com isso, mas que eram divertidos, eram. E foi com este espírito que me predispus a ver a 3ª parte.

 

Bem, eu nem sei que escreva agora... acabei o filme de queixo caído, completamente chocada com o assassinato que este fez ao título. Os actores são péssimos (daqueles que provocam gargalhadas e rolares de olhos), a realização terrível (bonecos atropelados, montes de panos estripados, tudo do pior), e o argumento...? O argumento é, perdoem-me a imagem, um autêntico vómito. Passamos o filme todo a tentar descobrir quem é desta vez o assassino (fisherman) para nos ver impingido no final um twist sobrenatural que nem um puto de 5 anos engolia.

 

É tudo tão mas tão mau que não consegui evitar escrever este aviso. NÃO gastem 90 min da vossa vida nele!

 

Jennifer Love Hewitt, volta por favor.  

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 19:37



My Way: "Two roads diverged in a wood, and I, I took the one less traveled by. And that has made all the difference"

Paula Antunes


Paula Antunes

"Não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros"

Zapatero


Caleidoscópio LGBT


Pesquisar

Pesquisar no Blog