Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Salta Pocinhas

por Paula Antunes, em 11.04.11

 

Fernando Nobre é candidato do PSD à presidência da Assembleia República

 

 

"SERÁ, COMO NÃO PODERIA DEIXAR DE SER, UMA DECISÃO REFLECTIDA, SERENA, SOLITÁRIA, DEFINITIVA E SOBERANA.QUE NÃO PASSARÁ PELA CRIAÇÃO DE QUALQUER PARTIDO POLÍTICO. 

E QUE, GARANTO-VOS, EXCLUÍ A MINHA PARTICIPAÇÃO POLÍTICA, NEM COMO INDEPENDENTE, NO ÂMBITO DOS PARTIDOS EXISTENTES, NEM EM ACTUAIS OU FUTUROS GOVERNOS PARTIDÁRIOS."

 

FN, 20/02/2011

 

  

 

Que Nobre tem um historial saltitante, não é novidade. Apoia PDS, PS e até BE conforme as caras, alturas e situações. Mas desta vez FN deu mesmo um passo maior que a perna. E pagará bem por ele.

 

A grande maioria das pessoas que votaram fizeram-no por ser apartidário, apesar de apresentar uma ideologia, sobretudo social, de esquerda. Essas sentem-se neste momento enganadas (basta ver a página oficial para ter uma noção da violência da reacção) e não votarão nele novamente.

Juntam-se a elas as que o acompanhavam e o vêem negar o comunicado de há 1 mês e pouco. Há mudar de opinião e depois há ser salta-pocinhas.

 

Isto é o que se chama um tiro no pé. Perdeu a aura que o tornava diferente aos olhos da maioria dos seus apoiantes. Com esta escolha e o percurso anterior, recorda subitamente a muita gente o poeta dobra-com-o-vento Alegre, e essa colagem na mente de muitos é péssima para FN.

 

Como Alegre, Nobre não soube compreender que os votos não eram dele, mas sim do ideal que representava. Esse esfumou-se, os votos leva-os o vento.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 13:37


2 comentários

De Sofia a 11.04.2011 às 14:11

Aí  que tu escreves tão bem, Paulinha!

De Paula Antunes a 11.04.2011 às 17:17


Bondade a tua. :)
Hum.... espera lá... o que é que tu queres?! :o

Comentar post



My Way: "Two roads diverged in a wood, and I, I took the one less traveled by. And that has made all the difference"

Paula Antunes


Paula Antunes

"Não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros"

Zapatero


Caleidoscópio LGBT


Pesquisar

Pesquisar no Blog