Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



OT - Oscar Thoughts

por Paula Antunes, em 24.02.11

 

The King's Speech

 

O Discurso do Rei é o filme do ano.

Não que seja o melhor filme de sempre, nem de perto nem de longe, mas é ainda assim um dos melhores de 2010 (a par de "Black Swan" e na minha opinião "The Fighter").

 

Este é sobretudo um filme de actores. Geoffrey Rush e Helena Bonham Carter iguais a si mesmos, ou seja, com mais duas excelentes interpretações, que não surpreendem quem está familiarizado com o trabalho de ambos, mas que vale sempre a pena rever.

 

Argumento interessante, embora sem rigor histórico, mas uma narrativa que prende e flui. Boa realização - Tom Hopper não é o favorito - esse posto cabe a David Fincher em "The Social Network" - mas é competente e poderá mesmo chegar ao óscar.

 

A pérola do filme é no entanto Colin Firth, naquele que é - para mim - o melhor papel da sua carreira. Quando não conseguimos imaginar outro actor no seu lugar, quando nos sentimos transportados para dentro do filme, quando ficamos angustiados com a angustia de uma personagem, então é caso para aplaudir de pé. Não é possível que o óscar lhe escape, mas em tal absurda eventualidade, estarei disposta a escrever uma carta de profundo repúdio à academia! É quão boa a sua prestação é.

 

The King's Speech é o tipo de filme que a academia gosta de ter como melhor filme do ano, no entanto nos últimos tempos, com a sentida moderização a que se obrigaram para cativar novas gerações, acabámos por ter filmes completamente diferentes a serem reconhecidos. O que levanta a questão: será que em nome dessa suposta modernização a academia atribuirá o óscar a "The Social Network"? 

 

Para mim TSN não chega aos calcanhares do DdR. Mas já me enganei antes nos vencedores. A ver vamos. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 19:01



My Way: "Two roads diverged in a wood, and I, I took the one less traveled by. And that has made all the difference"

Paula Antunes


Paula Antunes

"Não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros"

Zapatero


Caleidoscópio LGBT


Pesquisar

Pesquisar no Blog