Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A voz da tolerância

por Paula Antunes, em 10.02.11

 

É este tipo de noticia que me irrita solenemente: "Senhora capitã gay".

 

Um exercicio de homofobia pura disfarçado de "as coisas são assim, que se há-de fazer?"

 

Repare-se na seguinte frase "O único comentário que fonte oficial da GNR fez sobre o caso – "o casamento entre pessoas do mesmo sexo é um direito consagrado para qualquer cidadão, parabéns às nubentes" – mostra como no Quartel do Carmo o assunto é motivo de grande embaraço."

 

É embaraço? A sério? Diz quem para além do Sr. Manuel Catarino, subdirector do CM e responsável por este brilhante artigo?

 

Paternalismos? Não, muito obrigada. A época da *tolerância* já passou há muito. Igualdade requere-se. Ou isso ou silêncio.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Publicado às 16:32


2 comentários

De chrysaliis a 11.02.2011 às 21:24

Podes crer... é que parece que a palavra "gay" ali fazia muita falta para ilustrar o artigo... ou quiçá aumentar o valor das vendas!?


Pena é que não se enalteça que essa jovem, que só tem 27 anos, já está à frente de um Comando Distrital com cerca de 100 homens e acabou de fazer uma apreensão importante de mais de 200kg de explosivos e desmantelar um gang responsável por vários assaltos. Essa é que é!


E como se não bastasse num dia... no dia seguinte lá vem o CM à carga outra vez " Oficial gay comanda caça a 16 assaltantes". 


O pormenor do "gay" é que me deixa a pensar... E bem vistas as coisas... já percebi: se não fosse gay, não teria conseguido tal façanha!  O que significa que se todos o fossem, as forças militares e policiais fariam melhor o seu trabalho! ;)

De Paula Antunes a 15.02.2011 às 21:08

Quero um botão "Like" para carregar agora. ^^

Comentar post



My Way: "Two roads diverged in a wood, and I, I took the one less traveled by. And that has made all the difference"

Paula Antunes


Paula Antunes

"Não estamos a legislar para gentes remotas e estranhas. Estamos a ampliar as oportunidades de felicidade dos nossos vizinhos, dos nossos colegas de trabalho, dos nossos amigos e das nossas famílias e, ao mesmo tempo, estamos a construir um país mais decente. Porque uma sociedade decente é aquela que não humilha os seus membros"

Zapatero


Caleidoscópio LGBT


Pesquisar

Pesquisar no Blog